sábado, 7 de novembro de 2015

Caso Cunha: o STF vai ter que usar detector de mentiras


A casa de Eduardo Cunha caiu e ele insiste em permanecer sob os destroços


“A partir do momento em que surgem as denúncias, nossa bancada tem que votar com as provas, e as provas são contundentes contra Cunha”.

Ao depor espontaneamente na CPI da Petrobras, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ao ser questionado sobre a existência de contas bancárias suas na Suíça, negou peremptoriamente e foi aplaudido pelos seus pares, inclusive pelo deputado federal Sibá Machado (PT-AC).

Nessa oportunidade o PSDB que esperava contar com o apoio do presidente da Câmara Federal para encurralar a presidenta Dilma Rousseff engrossou o coro dos contentes.

O presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves acaba de reconhecer que as prova contra esse parlamentar fluminense são contundentes, o que neste momento impede moralmente Eduardo Cunha de ser o presidente de uma das casas do Congresso Nacional.

Cunha negou na CPI e continua negando que tenha contas bancárias no exterior. O que vai obrigar o STF, a quem cabe investigar e condenar parlamentares a usar um detector de mentiras. 

por Joachim Arouche  

Siga  no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino
Postar um comentário