terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

A economia teresinense é dependente dos maranhenses


 
É mito essa história de que a forte presença de maranhenses em Teresina, compromete os serviços (saúde e educação) prestados pela prefeitura da capital piauiense aos maranhenses. É que até o maranhense mais pobre que usa os serviços públicos de Teresina, ajuda a movimentar a economia teresinense e piauiense.

Os maranhenses bem economicamente, quando buscam os serviços de saúde e educação de Teresina, eles alugam apartamentos, compram apartamentos, estudam nas faculdades particulares, usam os serviços de saúde da rede privada e se deslocam de taxi.

A guisa de exemplo, convém comparar o valor dos cursos de medicina em faculdades particulares em Teresina com os valores praticados em São Luís. O valor pago por um estudante de medicina em São Luís, em Teresina dá para pagar o curso, o aluguel de um apartamento numa área nobre e ainda se deslocar o mês de taxi para a faculdade.

A medicina maranhense praticada em São Luís não é inferior a praticada em Teresina, só que a boa medicina em São Luís só os ricos têm acesso. Isso que afirmo qualquer médico piauiense pode comprovar. Isso talvez explique o número expressivo de maranhenses que buscam os serviços de saúde e educação teresinense.

Para os maranhenses do baixo, médio e alto Parnaíba é muito mais prático e econômico recorrer a medicina e a educação piauiense do que se deslocar até São Luís. São Luís fica muito distante do município de Alto Parnaíba.  

Se Teresina fechar as portas para os maranhenses, a economia teresinense e piauiense mergulhará numa crise profunda.

Num condomínio da zona Leste formado por 24 apartamentos, 51% desses apartamentos são ocupados por estudantes maranhenses.

O custo de vida em São Luís se comparado ao de Teresina é extremamente alto.
Postar um comentário