sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Estado do Maranhão: “o queridinho da mídia”

Centro de Lançamento de Alcântara

Com o lançamento da candidatura do comunista Flávio Dino ao governo do estado do Maranhão, a grande mídia nacional, parece que se uniu para derrotar o grupo Sarney, há 50 anos no poder. O que em parte era verdade. Mas, eis que veio a eleição e esse estado elegeu pela primeira vez na história deste país, um comunista e ex-juiz federal que chegou a presidir a Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE).
Hoje, já passado quase um ano e meio de um governo, cujo partido em campanha à sucessão estadual, afirmava que o Maranhão estava quebrado economicamente falando, estava dominado pelo crime organizado e a educação e a saúde estavam na UTI, a situação desse estado não melhorou em nada.
O estado do Maranhão tem hoje, a quinta capital brasileira mais violenta do país, a educação e a saúde não melhoram e nenhuma indústria se instalou em solo maranhense com a chegada dos comunistas ao poder. O que significa que os potenciais investidores sumiram. 
Ontem e hoje, o programa Bom Dia Brasil da Rede Globo de Televisão apresentou notícias negativas sobre um estado considerado potencialmente o mais rico da região Nordeste.
A segurança pública no estado do Maranhão deixa tanto a desejar que dois presos foram sequestrados da Delegacia de Polícia do município de Buriti de Inácia Vaz no Baixo Parnaíba. A esculhambação no Maranhão é tão grande que o prefeito do município de Santa Inês, Ribamar Alves preso sob a acusação de estupro governa o seu município de dentro da cadeia.
O Maranhão conta com o segundo maior litoral do país, o segundo porto marítimo mais do mundo, com terras excelentes para a agricultura, boa infraestrutura de transporte marítimo, aeroportuário, ferroviário e com um potencial energético invejável. Esse estado ainda é um grande produtor de gás, tem uma usina hidroelétrica com 1.087 megawatts de potência instalada, além de ser interligado pelo sistema Chesf e Eletronorte. 
Com uma forte cultura e o um enorme potencial turístico (São Luís, Delta das Américas, Lençóis Maranhenses, Ilha dos Lençóis, Chapada das Mesas, a cidade Alcântara com o seu Centro de Lançamento de Foguetes), o Maranhão tem tudo para deslanchar também no setor de serviços. O que falta para o Maranhão tornar-se um dos estados mais rico e desenvolvido do país? Homens comprometidos com o seu futuro.  
Mas, o Novo Maranhão ainda não aconteceu e esse estado continua patinando, porque embora disponha de uma boa infraestrutura em setores estratégicos da economia, como já foi dito acima, porque a visão míope dos seus governantes, não pensam um Maranhão Grande. Imagine você que o Maranhão embora conte com um Centro de Lançamento de Foguetes, não tem um curso superior nessa área e nenhuma indústria espacial.
Cachoeira na Chapada das Mesas - Carolina - Maranhão
por José de Ribamar Maluf Sauaia

Postar um comentário