sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Um país que seria hilário se não fosse imoral



Para o estrangeiro que neste momento está desembarcando no Brasil e se depara com essa crise de credibilidade que ora vive o governo, o país visitado por ele é surreal, porque é incompreensível para alguém  procedente de um país civilizado aceitar o Congresso Nacional ser comandado por políticos que estão sendo processados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). E para confundir ainda mais a cabeça do estrangeiro, o STF acaba de revogar a prisão preventiva do senador Delcídio Amaral (PT-MS), preso desde novembro após ter sido gravado oferecendo fuga para o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

O ministro, relator dos processos da Operação Lava Jato no STF, determinou o recolhimento domiciliar de Delcídio Amaral no período noturno e dias de folga, enquanto no pleno exercício do mandato de senador. Assim, Delcídio poderá comparecer normalmente às sessões do Senado. Essa situação do senador Delcídio cria constrangimento ao povo brasileiro e aos seus pares, porque esse político que foi preso a pedido do procurador-geral da república (PGR), com a autorização de um ministro do STF, volta a exercer normalmente o seu mandato. O bom senso recomenda que esse senador mato-grossense permaneça em casa para não constranger ainda mais a nação. 

Constrangido também ficarão os pares do senador Delcídio Amaral, que votaram pela continuação do seu processo e pela sua permanência na prisão. O Brasil definitivamente não é um país sério e ninguém neste país poderá funcionar como palmatória do mundo, pois nós todos somos iguais sem tirar nem por.

O jornalista Elói Gaspari repercutiu num seu artigo publicado no Jornal O Globo, uma campanha do Partido dos Trabalhadores (PT) que pretende ser desencadeada em todo país, com o seguinte slogan: “Somos todos Lula”. Uma ideia que eu critiquei a princípio, mas que após refletir bastante sobre ela, admito que hoje cheguei à conclusão que essa frase reflete a nossa realidade. Se “Somos todos Lula”, isso quer dizer todos nós somos iguais no caráter e na maneira de agir do nosso ex-guia. Salve o povo brasileiro!

A propósito: a presidenta Dilma Rousseff poderá perder o seu mandato através de um processo de impedimento ou pela cassação do seu mandato e do seu vice pelo TSE. O presidente da Câmara Federal Eduardo Cunha, também poderá ser cassado pelo Conselho de Ética da Câmara e ser afastado do seu mandato e da presidência da casa que preside pelo STF. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) poderá ter a mesma sorte. 

É para rir, ou chorar?      

Por Orozimbo Nonato Weber
Postar um comentário