sexta-feira, 6 de maio de 2016

"Eu não quero viver em outro país"



Ministro Luís Roberto Barroso
O esvaziamento das celas da Polícia Federal (PF) em Curitiba, chamou muito atenção da imprensa, porque sugere que a Operação Lava Jato se prepara para realizar novas prisões e que para que isso ocorra é preciso que haja espaço para novos hospedes.

Todos os presos da Lava Jato recolhidos na carceragem da PF foram transferidos nessa semana para o complexo prisional de São José dos Pinhais.

Se essa transferência sugere que novas prisões poderão acontecer dentro das próximas horas, o fato do Ministério Público Federal (MPF) ter convocado uma entrevista coletiva para esta sexta-feira, 06/05, às 14h00, num hotel Lizon, localizado no centro da capital paranaense, praticamente confirma as nossas suspeitas.   

Onde passa boi, passa boiada

Se o senador Delcídio do Amaral (Sem-Partido-MS) foi preso e o ex-presidente da república Luís Inácio da Silva foi alvo de condução coercitiva pela PF, não será surpresa para ninguém se a esposa e a filha de Eduardo Cunha, forem presas e encaminhadas para a sede da PF em Curitiba nas próximas horas.  

“Eu recentemente fui saudado numa universidade federal por um presidente de centro acadêmico. Ele disse uma frase assim: ‘ministro, eu não quero viver em outro país. Eu quero viver em outro Brasil’. E quando estava ouvindo o voto do ministro Teori Zavascki relatando os descaminhos em que nos perdemos, essa frase não me saiu da cabeça, de modo que acompanho o relator”, declarou o ministro do Supremo Luís Roberto Barroso. Com essa frase e o voto desse ministro pelo afastamento de Cunha, confesso que voltei a confiar no Brasil.

Todo apoio a Operação Lava Jato.
Postar um comentário