segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Bye, bye, PT!

O PT nos próximos anos passará por um verdadeiro desmanche, assim como acontece o PSDB e o DEM ao perderem o poder 

O Brasil viverá no dia de hoje, um momento singular na sua história, haja vista, a primeira mulher eleita presidenta da república estar sendo julgada e provavelmente será condenada a perder um mandato que lhe foi conferido pela maioria do povo brasileiro. O ineditismo deste momento político brasileiro é o fato de a primeira mulher eleita presidenta do Brasil vir a sofrer um impedimento. Um impedimento que será votado por um Senado desmoralizado, porque uma parcela considerável dos seus integrantes tem pendências com a justiça. Uma justiça que também não é bem vista pelo povo deste país. 

 
Com o provável impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o Partido dos Trabalhadores (PT) que anda mergulhado num inferno astral, desde o julgamento do Mensalão e que teve o seu quadro ainda mais agravado com o escândalo do Petrolão, cairá numa desgraça total e levara muito tempo para se recuperar dessa tragédia que se abateu sobre ele. 
 
O PT que em determinado momento da nossa história representou a esperança de um povo em romper com o atraso, com um modelo político arcaico e promover uma ruptura com as oligarquias e os coronéis da política nacional. Ledo engano de quem pensou assim, porque o PT no poder se igualou nas práticas políticas aos partidos que antes criticava e condenava. 

É óbvio que os partidos que irão julgar Dilma Rousseff não têm moral suficiente para fazê-lo, mas é também inquestionável a contribuição de muitos petistas para que os governos Dilma e Lula se perdessem num mar de vícios, de comportamentos imorais e antiéticos. O que levou os nossos congressistas a julgar Dilma Rousseff por aquilo que se convencionou chamar de o conjunto da obra.  

O PT se desencaminhou no poder, ao aceitar a tutela de partidos viciados em poder, fisiológicos e contaminados pelo vírus da corrupção.

Agora é tarde, Inês é morta.

por Joachim Arouche
Postar um comentário