segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Nem PMDB nem PT nem Temer



O povo foi às ruas em 2013 para exigir mudanças na política nacional, mas, pelo visto a nossa classe política não entendeu o recado.

O impeachment da presidenta Dilma Rousseff e a renúncia do deputado federal afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara Federal, se deram em função da pressão popular. Isso salta aos olhos.

É óbvio que os motivos alegados pelos deputados e senadores para votar pela cassação da ex-presidenta Dilma Rousseff não se justificam, mas é evidente que essa cassação se deu pelo conjunto da obra, ou seja, pela onda de escândalos que tomaram conta do quarto governo do Partido dos Trabalhadores (PT).

Nas ruas, o povo brasileiro se manifesta contra o atual presidente da república, contra os partidos tradicionais, leia-se: PMDB, PSDB, PT, PP, PTB e contra a corrupção e corruptores.

Nas ruas, o povo apoia a Operação Lava Jato e a Força Tarefa comandada pelo juiz federal Sérgio Moro, pelos procuradores da república e a Policia Federal.

As eleições municipais vão dar o tom do que virar por ainda em termos da avaliação dos partidos políticos. O PT por exemplo, sairá das eleições de 2016 menor do que entrou. É que PT vai ser desidratado nas ruas. Em 2018 será a vez do PMDB, PP, PTB e PSDB. Quem viver verá!
Fora todo mundo!
por Severino Arouche
Postar um comentário