sábado, 26 de novembro de 2016

Abraços de afogados II




O PSDB pratica nado, do tipo abraço de afogados com o PMDB, ao emprestar solidariedade e apoio ao governo do presidente Temer, um governo combalido por uma sucessão de crises fabricadas pelo partido do governo.

O PSDB que era o principal partido de oposição na era Dilma Rousseff, ao encapar o projeto de impedimento da ex-presidenta petista e ao aceitar participar do governo peemedebista, passou automaticamente a ser governo, o que descredenciou o partido liderado por Aécio Neves e Geraldo Alckmin da condição de partido de oposição. O que acabou deixando um vácuo na política nacional.

Como tudo leva a crer que o governo Temer redundará num retumbante fracasso, o PSDB herdará uma herança maldita, o que inviabilizará o projeto político do partido de FHC de voltar ao poder em 2018.

Os tucanos ao se alinharem automaticamente com o governo do PMDB, cometeram dois erros crassos, que foram: não ter exercitado o senso de oportunidade e abandonar a trincheira da oposição.

Com o PSDB tendo abdicado da condição de partido de oposição, uma condição legitimamente conquistada sob o governo Dilma Rousseff e o segundo lugar conquistado por Aécio Neves na eleição de 2014, o caminho está aberto para a eleição de um candidato outsider. Um candidato com o perfil de Donald Trump (foto), que se elegeu com um discurso antipolítico. Quem viver verá!  
Postar um comentário