quarta-feira, 30 de novembro de 2016

O PT mostrou ontem a sua verdadeira face



A desfiguração do projeto de Lei contra a corrupção, votado e aprovado ontem na Câmara Federal, contou com o apoio decisivo da PT, do PC do B, PDT, PSOL e do partido Rede de Sustentabilidade, partidos que se dizem de esquerda.

Quem ainda tinha dúvida sobre o envolvimento do Partido dos Trabalhadores (PT), o PC do B e PDT com o Petrolão e outros escândalos, após essa votação, dirimiu todas as suas dúvidas sobre os reais interesses que movem esses três partidos.  

Os que se posicionaram e votaram contra o pacote de medidas contra a corrupção, que foi originalmente apresentado pelo Ministério Público Federal, com dez propostas (e contou com mais de 2 milhões de assinaturas de apoio), o fizeram, não pensando no bem do país, mas, como uma maneira de se proteger da Operação Lava-Jato, que com a homologação da delação da Odebrecht, não deixará pedra e os nossos partidos serão feridos de morte.

O PT não está vivendo uma situação de desmoralização e de derretimento, por acaso, mas uma consequência de uma sucessão de erros cometidos e praticados, após sua ascensão ao poder e nele se deixar contaminar por vícios e costumes de partidos sabidamente viciados em corrupção e bandalheiras.

O Partido dos Trabalhadores (PT), que outrora foi visto como um partido sério e comprometido com a moral e ética, hoje não passa de um arremedo do que foi no passado.

Esses partidos que se dizem de esquerda, votaram contra os juízes e promotores, com um sentimento de vingança contra quem está colocando na cadeia bandidos travestidos de políticos.

Essa votação uniu a oposição e a situação, porque ambos os lados defendem interesses comuns. A deputada comunista Jandira Feghali, por exemplo, apareceu na relação de nomes ajudados pelo delator Sérgio Machado, o nome de confiança do senador Renan Calheiros (PMSB-AL) numa das diretorias da Petrobras.
Postar um comentário