quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Wellington repete os mesmos erros de Dilma



O piauiense acompanha boquiaberto a tentativa desesperada do governador Wellington Dias de atrair para sua base de apoio, o PMDB e PP. Os dois partidos andam fugindo do governador, como o diabo foge da cruz, para não se deixar contaminarem pela monumental crise que se abateu sobre o Partido dos Trabalhadores (PT) e que ameaça o futuro político de um partido que há dois anos todo mundo queria tê-lo como companheiro de chapa e de aventura política.

A semelhança entre o governo de Wellington Dias e do fracassado segundo governo da ex-presidenta Dilma Rousseff pode ser vista nos movimentos e malabarismos que o governador piauiense anda fazendo para trazer para a sua base de sustentação o PMDB e PP, os mesmos partidos que tramaram e apearam do poder Dilma e o PT.  

O PMDB e PP podem até atender aos insistentes apelos do governador Wellington Dias para participarem do seu governo, mas sabendo de antemão que em 2018 nem o PMDB e nem o PP participarão da sua chapa que lutará pela sua reeleição.

O PT leva bordoadas de todos os lados, é traído vergonhosamente pelos seus sócios e mesmo assim insiste em tê-los como apoiadores.

Em boa hora

O atual secretário de segurança do estado Piauí, o deputado federal licenciado Fábio Abreu acaba de anunciar que vai assumir seu mandato no Congresso Nacional. Essa decisão de Fábio Abreu é a tentativa de um político neófito em adquirir um segundo mandato, o que vinha sendo comprometido com a sua permanência à frente de uma secretaria que vinha queimando o seu filme, haja vista, os péssimos resultados apresentados por essa secretaria nesses quase dois anos sob seu comando.

Até na caserna o desgaste de Fábio Abreu é muito grande. Ele que foi eleito para defender os interesses da sua corporação na Câmara Federal, mas, preferiu servir ao governador e ao seu ego.
Postar um comentário