terça-feira, 7 de março de 2017

A poesia segundo Miguezim de Princesa



Afanaram a prefeitura
I
Princesa passou um tempo
Azeda, chupando umbu,
Governada por velhacos,
Tomadores de Pitu,
Que arregaçaram a cidade,
Só deixaram o mucumbu.
II
Quando Ricardo Pereira
Chegou para governar,
Não encontrou nem cinzeiro,
Que alguém levou sem pagar,
Até banheiro entupido
Teve ele de consertar.
III
Surrupiaram o birô
Do prefeito trabalhar,
Soube que virou uma mesa
Com um pano de bilhar,
Levaram ali para o sítio
Bem depois do Gravatá.
IV
E ainda fizeram empréstimo
Sem ofertar nada em troca,
Pegaram quem já morreu
E arrumaram a maloca,
Botaram dívida no nome
Do Sargento Muriçoca.
V
Viram um assessor magrelo
Correndo com um tamborete,
Outro levou uma vassoura
Que limpava o palacete
E deram pros funcionários
A cabeça de um cacete.
Miguel Lucena (Miguezim de Princesa) é delegado de polícia do Distrito Federal (DF), jornalista e poeta de cordel.
Postar um comentário