terça-feira, 7 de março de 2017

João Henrique Sousa reagiu ao 'golpe'



Sempre disse e continuarei dizendo que acho extremamente esquisito o PMDB está junto com o PT no Piauí”. (Frase do advogado João Henrique Sousa que é vice-presidente do PMDB piauiense)

João Henrique e Michel Temer trocam figurinhas
Essa frase do Conselheiro Nacional do Serviço Social da Indústria (SESI), João Henrique Sousa, vice-presidente do PMDB estadual veio bem a calhar com o que eu afirmei ontem (06/03), aqui neste espaço virtual, sobre o racha ou um acordo tácito, firmado entre os cardeais do PMDB piauiense.

Mas, pelo que disse João Henrique Sousa sobre o PMDB vir a participar do governo do petista Wellington Dias, classificando a participação de peemedebistas no governo do Partido dos Trabalhadores (PT) como esquisita, não houve nenhum acordo firmado entre o grupo liderado por Themistolces Filho e o grupo liderado por João Maguinho para que às vésperas da eleição o PMDB se reunifique, sob o argumento de que a união faz a força, a exemplo do que aconteceu com o PMDB nacional ao desembarcar do governo Dilma.  

Se Michel Temer permanecer no governo até 2018, o PMDB terá candidatura própria ao governo do estado do Piauí e com o apoio do que sobrar do PSDB piauiense.  

O aceno de Wellington Dias ao presidente da Assembleia Legislativa do estado Piauí, o deputado estadual Themistocles Filho com a promessa de que ele será seu companheiro de chapa na eleição de 2018 não unificará o PMDB em torno do nome de Themistocles Filho.

Em Brasília o nome cotado para disputar o governo do estado do Piauí pelo PMDB piauiense é João Henrique Sousa, um amigo particular de Temer e dos poucos políticos piauienses com dimensão nacional. João Henrique Sousa, ministro dos Transportes no segundo governo de FHC.
Postar um comentário