domingo, 19 de março de 2017

Política da acomodação e do é dando que se recebe



O governador do estado do Piauí, o petista Wellington Dias, anda na contramão da realidade brasileira, ao criar várias coordenadorias com status de secretarias, para acomodar novos aliados políticos, num momento em que o bom senso recomenda o enxugamento da máquina administrativa, com a redução de cargos comissionados e outras despesas como está fazendo o prefeito de Teresina, o tucano Firmino Filho.

Com essa sua política de aumentar a folha de pagamentos e despesas, com a criação de centenas de novos cargos de assessores, carros novos e outras despesas, Wellington Dias, poderá comprometer as finanças de um estado que sobrevive de repasses do governo federal. Isso atende pelo nome irresponsabilidade fiscal.

Entende-se por irresponsabilidade fiscal o desrespeito por parte da administração pública ao equilíbrio nas contas públicas, em conformidade com o que estabelece, no Brasil, a Lei Complementar 101 de 4 de Maio de 2000, definindo seus gastos não de acordo com objetivos meramente políticos.
Postar um comentário