quinta-feira, 6 de abril de 2017

Quem é a UBER e porquê não apoiá-la?



A Uber é uma empresa multinacional norte-americana, prestadora de serviços eletrônicos na área do transporte privado urbano e baseada em tecnologia disruptiva (é um termo que descreve a inovação tecnológica, produto, ou serviço em rede, através de um aplicativo E-hailing que oferece um serviço semelhante ao taxi tradicional, conhecido popularmente como serviços de "carona remunerada". (Com dados da Wikipédia).

Cerca de cinco anos após sua fundação a empresa foi avaliada em 18,2 bilhões de dólares, em junho de 2014, contando com investidores como a Google e Goldman Sachs.

Num passado recente, os defensores de empresas multinacionais no país, eram tratados como agentes do capitalismo, pessoas que estavam a serviço do capital internacional. É óbvio que nem todas as empresas ultra nacionais são lesivas ao desenvolvimento nacional, mas é inegável que uma empresa como a UBER, não interessa ao nosso país, porque, as nossas empresas de taxis que funcionam com base nas leis nacionais, diferentemente dessa empresa norte-americana que está funcionando no país sem ser regulamentada, ou seja, sem se submeter as leis e regulamentos desse tipo de serviço, prestam um serviço.

O apresentador de um programa jornalístico da Band News TV, Rafael Colombo, poderia ser incluído entre os agentes do capital estrangeiro, porque defende um serviço prestado pela UBER similar ao desenvolvido pelos nossos taxistas que trabalham obedecendo as nossas leis e regulamentos. Desnecessário dizer que esse jornalista presta um desserviço ao país.

Desenvolver um aplicativo do tipo usado pela UBER, o Brasil pode fazê-lo através do Porto Virtual do Recife, porque então o governo brasileiro não financia a construção de um aplicativo similar, para proteger os nossos empregos e evitar que o nosso sagrado dinheirinho não seja remetido para os EUA? O Brasil está nas mãos dos entreguistas que usam um discurso de modernidade para justificar os seus interesses escusos ou complexo de cachorro vira-latas.  

A UBER é nociva aos nossos interesses e os agentes do capitalismo norte-americano devem ser execrados. A propósito, a UBER não investe recursos no país. Muito pelo contrário, ela suga os nossos já minguados recursos.
Postar um comentário