sábado, 8 de abril de 2017

Renan Calheiros versus Michel Temer




Renan sapateia sobre a cordialidade de Temer porque está mal nas pesquisas no seu Estado”. (Frase do jornalista Josias de Souza)

A guerra fratricida que está sendo travada entre os peemedebistas, Michel Temer e Renana Calheiros, por estar indo longe demais, parece que não vai ter armistício. A guerra que vem sendo travada entre esses dois caciques do maior partido brasileiro é de vida e morte e dificilmente os dois sobreviverão à essa encarniçada luta. Um dos dois fatalmente não sobreviverá.

Ainda não são claros os motivos que levaram o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), a enfrentar o presidente da república, mas os jornalistas e analistas políticos de plantão em Brasília, veem nessa guerra declarada por Renan Calheiros ao seu companheiro de partido, uma chance de reeleger-se, com o apoio de Lula que ainda é o maior cabo eleitoral da região Nordeste, desde é claro, que esse senador alagoano se redima perante o PT e Lula.

Como Temer, não tem tempo, não tem vontade política e está preso aos compromissos assumidos com as elites nacionais, durante as conspirações para defenestrar Dilma e o PT do poder, ele não reúne as mínimas condições para vir a se tornar um líder político de dimensão nacional, o que não ajuda Renan Calheiros no seu projeto de conquistar mais um mandato. Isso talvez explique essa separação litigiosa entre Renan e Temer.

Temer ao chegar ao fim do mandato da chapa Dilma-Temer, não terá forças e prestígio para apoiar esse ou aquele candidato e fazê-lo vitorioso. Já Lula, embora ameaçado de prisão e consequentemente da perda dos seus direitos políticos, mesmo assim, ainda tem condições de convencer o eleitorado alagoano para reeleger Renan Calheiros.

O que Renan Calheiros está fazendo é puro pragmatismo político.
Postar um comentário