quinta-feira, 18 de maio de 2017

A hora e a vez de Aécio Neves





Abraço de afogados


Vai acabar todo mundo preso”, disse Joesley Batista

O Brasil amanheceu neste dia 18/05, espantado com a maior crise já experimentada pelo governo Temer que tem no PSDB, o seu maior aliado e a sua maior base de sustentação.

Qual o motivo desse grande espanto? A revelação de uma gravação feita por um dos maiores empresários brasileiros na atualidade, o dono do JBS, o maior frigorifico brasileiro, com o presidente Michel Temer e o presidente do PSDB Aécio Neves, onde o presidente aparece apoiando o pagamento de uma mesada ao ex-deputado federal Eduardo Cunha para comprar o seu silêncio e Aécio Neves pedindo dois milhões de reais para pagar um escritório de advocacia para defendê-lo na Operação Lava Jato.  

Nessa gravação divulgada pelo jornalista Lauro Jardim do jornal O Globo, aparece o nome do presidente do PSDB, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que num encontro que teve com Joesley Batista num hotel na cidade de São Paulo, onde esse senador mineiro fez o pedido de dois milhões de reais para pagar um escritório de advocacia para defendê-lo na Operação Lava Jato, no que segundo esse empresário Aécio Neves foi atendido.     

Aécio Neves que até o dia de ontem (17/05), era tido como vestal da moralidade e da ética, no dia de hoje está tendo o seu escritório no Senado e as suas residências sendo devassados pela Polícia Federal. A situação do senador Aécio Neves é insustentável.

Contra o senador Aécio Neves, ainda pesam seis inquéritos que estão no Supremo Tribunal Federal (STF).   

Postar um comentário