domingo, 23 de julho de 2017

Acesso ao centro da cidade compromete a imagem do município

Quem ouve falar do município de São Raimundo Nonato, localizado no estado do Piauí, através da imprensa teresinense, tem a melhor das impressões sobre este município (o berço do homem americano), o que não corresponde à realidade, uma vez que este município convive com uma falta de água permanente, o fornecimento de água inservível para o consumo humano, saneamento básico precário (coleta e tratamento de lixo que deixa muito a desejar), saúde e educação públicas só comparadas às dos países da África subsaariana. Não por culpa dos profissionais dessas áreas, evidentemente. 

 

As fotos que aparecem no corpo deste texto, reforçam os argumentos daqueles que criticam os serviços públicos ofertados aos munícipes de São Raimundo Nonato, como por exemplo, a coleta de lixo.


Para comprovar a precariedade dos serviços de saúde, educação e saneamento básico oferecidos aos habitantes de São Raimundo Nonato, basta ao interessado se informar e constatar in loco o que diz este texto. 

As entradas e saídas da sede deste município estão sendo tomadas por lixões e lixo queimado. A propósito: A Lei de Crimes Ambientais de nº 9.605 de 1998, em seu artigo 54, descreve o crime de poluição, que consiste no ato de causar poluição, de qualquer forma, que coloque em risco a saúde humana ou segurança dos animais ou destrua a flora. Um exemplo clássico desse tipo de crime é a queimada de lixo doméstico, que emite poluição na forma de fumaça, causa risco de incêndio para as habitações locais, destrói a vegetação e pode causar a morte de animais que ocupa as redondezas. 




A sede do município de São Raimundo ainda convive com outro sério problema, que é a maioria das suas ruas não contarem com nenhum tipo de pavimentação.

Rua localizada no centro da cidade

Esgoto a céu aberto na Avenida João Dias (Avenida dos estudantes)  
Postar um comentário