quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Quais são as credenciais do Dr. Pessoa?




O político que conseguir formular um discurso de mudança e apresente projetos originais para mudar o estado do Piauí - na campanha eleitoral de 2018 é um sério candidato a assumir o posto hoje ocupado por Wellington Dias. (Ribamar Divino)  

O médico e deputado estadual José Pessoa Leal (Dr. Pessoa), na eleição de 2016, disputou a sucessão municipal de Teresina, na qual foi derrotado por Firmino Filho ainda no primeiro turno dessa eleição.

Filiado ao PMDB foi candidato a prefeito do município de Água Branca em 1988 e de Lagoinha do Piauí em 1996, mas foi derrotado nas duas ocasiões, bem como perdeu a eleição para deputado estadual em 1990, quando já pertencia ao PDS. Esse político itinerante foi eleito vereador de Teresina em 2000 pelo PPS, perdeu a eleição para deputado estadual em 2002, sendo reeleito à Câmara 2000Municipal de Teresina pelo PDT em 2004 e 2008. Depois de ingressar no PSD conquistou um novo mandato de vereador em 2012 e foi eleito deputado estadual em 2014. Em 2016 foi derrotado em primeiro turno por Firmino ao disputar a prefeitura da capital piauiense.

O deputado estadual Dr. Pessoa é um político que pode muito bem ser classificado como político itinerante e pula pula, porque nesses seus 28 anos de carreira política, já disputou vários cargos eletivos em vários municípios e na mesma proporção em que muda de domicílio eleitoral, ele muda de partido. Características essas que não abonam a biografia política desse ou daquele político.   

As credenciais que o político Dr. Pessoa apresenta como candidato a cargos eletivos, não é nada diferente dos demais candidatos que estão se apresentando como potenciais candidato à sucessão estadual de 2018. Se pelo menos o Dr. Pessoa fosse um político original, adiantaria arriscar um voto nele, mas nem isso ele é.

Na campanha eleitoral de 2016 em Teresina, esse pré-candidato ao governo do estado do Piauí, sequer conseguiu formular um discurso de mudança contra um candidato que disputava o seu quarto mandado a prefeito da capital piauiense e o seu partido governa Teresina há mais de um quarto de século (há mais de 30 anos). Quem não conseguiu estruturar um discurso contra Firmino Filho, fatalmente não conseguirá se apresentar como uma esperança de mudança ao eleitor piauiense. O Piauí precisa mudar de mãos, porque a alternância de poder está na essência da democracia.   
Postar um comentário