quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Petistas viajam para não se comprometerem


Foto: Joka Madruga/Futura Press

Ostentando o número do PDT na camisa, Gleisi Hoffmann e o seu marido Paulo Bernardo passeiam em São Petersburgo, na Rússia

A presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), assim como o senador Jorge Viana (PT-AC), num momento crucial da vida brasileira, quando estava em jogo o futuro de um dos algozes da ex-presidenta Dilma Rousseff, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), viajaram para a Federação Russa, como quem foge de uma situação no mínimo embaraçosa, para quem tem pendencia com o Supremo Tribunal Federal (STF).  

Um petista envergonhado ao responder a um jornalista “onde o PT ficaria no caso Aécio”, um senador do partido foi irônico: “O PT? O PT fica na Rússia”, ironizou o senador petista. A ausência da presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) da sessão do Senado na última quinta-feira (17) que devolveu o mandato de Aécio Neves é mais uma situação embaraçosa vivida por quem deveria se posicionar a favor do afastamento desse senador mineiro - que está sob investigação da Suprema Corte.

O PT sob a presidência da senadora Gleisi Hoffmann, usa um atalho para o abismo, porque ela não trabalha para resgatar a imagem de um partido duramente atingido por dois rumorosos escândalos, o Mensalão e o Petrolão, que revelaram ao país a nudez desse partido e das suas principais lideranças.

Deixar de comandar o partido nesse momento decisivo da vida nacional e de reafirmação do PT, no mínimo soa como a fuga de alguém que espera ser tratada com reciprocidade, quando o STF pedir seu afastamento das funções legislativas. O que fatalmente irá acontecer.

O senador Jorge Viana (PT-AC) é um petista de alma tucana, porque ele sempre vive em cima de muro, e quer sempre viver de bem com todos. De bem com todos significa não se atritar com os políticos “adversários.

E de desmoralização em desmoralização o Partido dos Trabalhadores (PT) se aproxima de um destino trágico: se igualar aos partidos que antes criticava e demonizava.
Postar um comentário