domingo, 14 de junho de 2015

É preciso unir o país



Desde a campanha presidencial de 2014 que o Brasil está dividido ao meio, com uma metade defendendo a continuidade de um modelo político desgastado e viciado e a outra metade pregando mudança. O resultado dessa eleição deixou essa divisão por demais evidente, com a presidenta Dilma Rousseff se reelegendo, mas com uma vitória apertada.

Já passado quase um ano da eleição presidencial de 2014 e os ânimos continuam acirrados, com a oposição questionando a quarta vitória do Partido dos Trabalhadores (PT) e pedindo o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, sob a alegação do uso da máquina administrativa e estelionato eleitoral, com base nas promessas de campanha feitas pela candidata petista nos palanques e que não cumpridas, o escândalo do Petrolão e a política de austeridade que vem provocando desemprego em massa.

Embora a oposição tenha motivos de sobra para fustigar o Governo Federal, como vem fazendo desde o momento em que foi anunciada a reeleição de Dilma Rousseff, o bom senso recomenda que o governo e a oposição sentem-se em volta de uma mesma mesa para juntos buscarem uma saída que permita ao país vencer essa grave crise, que ameaça a estabilidade da nossa moeda, que dome a inflação que está quase fora de controle e estanque o desemprego.

Se às nossas lideranças políticas da situação e da oposição não desarmarem os espíritos e se disporem a buscar uma saída negociada para essa grave crise, poucos sobreviverão a ela. É pagar para ver.

Postar um comentário