segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Apego do PT ao poder precipitou o seu fim



Nas verdadeiras democracias querer se perpetuar no poder é um erro crasso. O PT por querer contrariar essa lógica vai deixar o poder e  lutar muito para não desaparecer, assim como o DEM e o próprio PSDB. O DEM  não lota  uma van com os seus filiados.   


O PSDB levou oito anos no governo e só deixou o poder, expurgado pelas urnas. O PT poderia ter perdido a eleição em 2014, após 12 anos de governos consecutivos, mas graças ao marketing político posto em execução por João Santana que através filigranas de marketing fez com que o povo brasileiro não se desse conta da realidade circundante; que a oposição nos palanques insistia em revelar ao país. Veio à eleição e Dilma Rousseff foi reeleita. Uma reeleição que pode ser considerada como sendo uma vitória de Pirro, porque obtida a alto preço, potencialmente acarretadora de prejuízos irreparáveis ao país.

O senador Jorge Viana (PT-AC), acaba de fazer mea culpa em entrevista concedida à revista Carta Capital, onde disse: “Para salvar o governo, a única solução é piorar o governo. Seria melhor ter perdido a eleição”. 

O Partido dos Trabalhadores (PT) que poderia voltar ao poder após os quatros anos de governo Aécio Neves, porque o governo tucano teria acabado com os programas sociais para atender às exigências do mercado financeiro e como consequência disso, teria feito aumentar os índices de pobreza, mas não, o PT que aparelhou o estado brasileiro, precisava vencer para continuar mantendo a UNE, o MST, a CUT e outros entidades no bem bom.


por Ataliba Praxedes Cerqueira Bentes
 
Siga no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino
Postar um comentário