quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Vista de longe toda família é normal e legal



“De longe somos todos normais, de perto todo mundo é louco e, em uma escala microscópica, não passamos de uns neuróticos”.

Passei os últimos dias procurando entender o porquê dos membros de uma família terem muitas divergências entre si. Ocorre que uma família vista de longe é aparentemente normal e legal, mas na medida em que dela nos aproximamos e passamos a conviver o seu dia a dia, percebemos que na realidade ela é bem diferente daquilo que imaginávamos ser. Na convivência mais próxima é que percebemos mais detalhadamente a idiossincrasia de cada um dos seus membros.

É óbvio que eu estou me referindo à família no seu sentido mais amplo, ou seja, a família fora do núcleo formado pelos pais, filhos e netos.

Quando convivemos muito próximos da família que fica fora do núcleo familiar, a possibilidade de convivermos e nos envolvermos com problemas que não nos dizem respeito é infinitamente maior. Dai eu recomendar certo distanciamento da família ampliada para que você não se veja envolvido em problemas e questões que o convívio muito próximo fatalmente acarreta.   

O parente só é legal quando não lhe traz problema e o seu convívio é esporádico. A proximidade nos joga numa sucessão de contatos que acaba provocando estresse.

Eu que sempre vivi muito longe da minha família, julgava ser muito importante à agregação familiar, porque entendia que os membros de uma família devem se proteger mutuamente. Ledo engano, porque a chance de haver maior desgaste na relação de parentes próximos é muito grande.

É evidente, como tudo na vida que existem as exceções.

por Salustiano Silva Ramalho Lampréia

Siga no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino 
Postar um comentário