segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

O PP entrou no radar do STF



O Partido Progressista (PP) entrou no radar do Supremo Tribunal Federal (STF) e assim como o PT e o PMDB, fatalmente cairá em desgraça junto à opinião pública brasileira, por ser um dos operadores do Petrolão. 

Vários políticos do PP, inclusive o seu presidente nacional e mais 31 parlamentares, constam da lista do procurador-geral da república (PGR), Rodrigo Janot que serão investigados e se denunciados, serão julgados pelo STF.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o esquema de corrupção sustentado pelo PP na Petrobras, que tinha como principais operadores o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef, desviou R$ 357,9 milhões dos cofres da estatal, entre 2006 e 2014 --161 atos de corrupção em 34 contratos, 123 aditivos contratuais e quatro transações extrajudiciais.

Esses dados divulgados recentemente pelo PGR colocam o PP numa situação bastante complicada e tudo leva a crer que com o fim do recesso do STF, uma das primeiras decisões do ministro Teori Zavascki será autorizar a prisão de alguns parlamentares desse partido. O PP que é reincidente em caso de corrupção.
Postar um comentário