quinta-feira, 14 de abril de 2016

Eduardo Cunha colocou o país de joelhos



 
Na história da República Federativa do Brasil, poucas personalidades demonstraram tanto poder, como vem fazendo o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que vive desafiando o Poder Executivo, o Poder Judiciário e parte do Poder Legislativo. Cunha não respeita e nem teme a lei e as autoridades deste país.

Qualquer estrangeiro que visita o Brasil e se depara com situação vexaminosa de um réu estar comandando um processo de impedimento, contra a presidenta da república; contra quem não pesa nenhuma acusação formal, descobre sem muito esforço que este país não passa de uma republiqueta de banana. Um lugar vulgar, um lugar sem importância e um país insignificante.

Não é crível que um partido que tem o vice-presidente da república, seis ministérios e mais de 600 cargos no segundo e terceiro escalões seja o principal acusador e o que mais trabalha pelo impeachment da presidenta. Cinismo e falta de pudor é pouco.

E pasmem! A grande imprensa (jornal impresso, sites de notícias, televisão aberta e fechada), na maior sem cerimônia abrem espaços enormes para os conspiradores.

Os nossos heróis são Paulo Maluf, Eduardo Cunha, o pastor Feliciano, Michel Temer, Fausto Pinato e Romero Jucá. Podbre Brasil! “Eu morro e não vejo tudo”.
Postar um comentário