sábado, 18 de junho de 2016

O destino de Temer não será diferente do de Dilma



Os corruptos que assumiram o governo provisório do PMDB, juntamente com Michel Temer, vêm caindo de maneira até certo ponto surpreendente. Surpreendente, não pela biografia dos escolhidos, que via de regra são suspeitas, mas pela imprudência de Temer, em querer garantir a governabilidade do seu governo e para que isso aconteça, priorizou o critério político em detrimento da meritocracia.

Vários paralelos podem ser traçados entre o governo provisório de Temer e os governos da presidenta Dilma Rousseff, mas basta um apenas, para que seja estabelecida uma grande semelhança entre o governo do PMDB e os governos do PT: a presença nesses governos de políticos considerados fichas-sujas. É óbvio que existem as exceções de praxe.

O PMDB que conspirou e apeou o Partido dos Trabalhadores (PT) do poder, ao assumir provisoriamente o governo central, não teve nenhum pudor em formar um governo com remanescentes dos governos Dilma-Temer.

A formação de um governo sem levar em consideração princípios morais, éticos e o mérito, faz-nos concluir que os conspiradores e golpistas ao tramarem contra o governo Dilma Rousseff só estavam pensando em salvar a pele da cúpula do PMDB e integrantes de outros partidos que estão na mira da Operação Lava Jato.  É evidente que no governo Temer tem pessoas sérias e comprometidas com o país, mas essas são uma exceção.

“Algo precisa mudar para que continue com estava”.
Postar um comentário