terça-feira, 21 de junho de 2016

O que credencia um sujeito para disputar um mandato eletivo?




São vários os fatores que credenciam uma pessoa para disputar um mandato eletivo, sendo que o mais importante deles é a pessoa ter vínculos fortes com o lugar e o povo que deseja representar. O que o pretendente a uma vaga no Poder Executivo ou Poder Legislativo consegue, defendendo os interesses do povo, mesmo sem mandato.

Nos EUA, dois fatores são levados muito em consideração pelo eleitor estadunidense: ser um ex-combatente ou um ativista social. O presidente Barack Obama, por exemplo se credenciou como ativista social ao atuar como líder comunitário em Chicago e como advogado em defesa dos direitos civis, o que o levou a disputar uma vaga no Senado pelo estado Illinois e venceu. O resto dessa história o mundo inteiro conhece.

No Brasil, qualquer sujeito(a) se acha no direito de representar determinado município ou estado, sem que tenha se preparado para isso. Esse sujeito (a) é um outsider da política, um oportunista que aposta na ignorância de um povo que via de regra é analfabeto político.

Ontem eu escrevi aqui neste espaço virtual, sobre a figura do prefeito visitante, uma invenção do estado do Piauí. Para quem não leu o meu texto que versa sobre essa ignomínia, afronta, desrespeito e opróbrio - eu explico: prefeito visitante é aquele que embora tenha nascido em determinado município ou estado deixou de nele residir há mais de uma década.      

No Brasil, mesmo o indivíduo morando no município, ele não se interessa pelas causas e demandas do município, já imaginou ele residindo fora? Pior ainda.
Postar um comentário