sexta-feira, 1 de julho de 2016

Temer 'teme' Cunha


Cunha peita Temer e o petista Wadih Damous vibra ao lado
O ‘encontro clandestino’ entre Temer e Cunha aconteceu por livre e espontânea pressão do deputado. Temer treme nas bases só em pensar no estrago que Cunha poderá provocar no seu governo.

Que o deputado federal afastado Eduardo Cunha é um arquivo vivo ambulante, disso o Brasil esclarecido todo sabe. Que Cunha sabe dos pobres dos integrantes da cúpula do PMDB e do núcleo duro do governo provisório de Temer, também. São essas certezas que levam a maioria do povo brasileiro a desconfiar do interesse do Palácio do Planalto em querer livrar o presidente afastado da Câmara Federal, pelo menos da cassação do seu mandato. 

O encontro reservado ou encontro clandestino, entre Cunha e Temer é bastante elucidativo sobre o interesse dos peemedebistas e tucanos em salvar um político réu em 
A jornalista Natuza Nery, editora da coluna Painel do jornal Folha de S. Paulo diz na sua coluna no dia de hoje, que o PSDB não pretende colaborar com o sacrifício de Cunha, por considerar relevantes os serviços prestados por esse deputado na abertura do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff. O PSDB sempre o mesmo.

No âmago do poder central em Brasília, todos temem a ira e a revolta de um político que sabe muito sobre o PMDB, sobre as negociações que levaram Dilma Rousseff a ser afastada da presidência da república. Se Cunha abrir a boca, o governo Temer desmorona e muitos políticos de grosso coturno sucumbirão com ele. 
Postar um comentário