quinta-feira, 14 de julho de 2016

Um Nordeste independente é preferível





O gigantismo do Brasil não interessa a ninguém. O Brasil pode muito bem ser dividido em quatro outros países. Um país formado pelos estados da região Norte, um país formado pelos estados do Nordeste, um país formado pelos estados da região Sudeste e um país formado pelos estados da região Centro-Oeste.  Sem nenhum prejuízo para nenhum dos novos países.  

Autor do livro Nordeste Independente e representante do grupo que quer a separação da região Nordeste do restante do país, Jaques Ribemboim vem discutindo o tema há mais de 20 anos e acredita que não há momento melhor para propagar as ideias. 

Professor universitário e com pós-doutorado em Sistemas Produtivos Locais na Universidade Pierre Mendes, na França, ele acredita que, além dos fatores externos e internos, a juventude atual está mais aberta a discutir mudanças, o que favoreceria os movimentos separatistas. 

"É um momento oportuno para conquistar novos adeptos. Separatismo dentro do Brasil é um tabu, se tornou algo impensável. Eu lhe asseguro que hoje temos mais chance de sucesso do que no passado", aposta.

"O jovem aprendeu a rever conceitos, é mais liberal na recepção de novas ideias. É capaz de dialogar sobre prós e contras sem aversão inicial à ideia. Ou seja: separatismo entre jovens não tem o mesmo estigma de tabu que tinha no passado, e nossas ideias terão uma ampla aceitação."

"É claro que um movimento separatista tende a ter mais sucesso e maior adesão em períodos de crise. De certo que a crise econômica e política e a descrença nos nossos representantes no governo de forma geral e algumas.
Movimentações aqui e ali no exterior de separação estimulam de alguma forma o desejo separatista no Brasil, e mostram que ele é algo possível", afirma. 

A dimensão continental do Brasil e a prevalência dos interesses das regiões Sul e Sudeste sobre a região Nordeste são motivos mais do que suficientes para que os nordestinos se engajem num movimento de separação. Um movimento que certamente contará como o apoio de gaúchos e paulistas que desejam há muito tempo se separar de uma região que é considerada um peso morto e um grande fardo. 

O país Nordeste ou que outro nome venha receber está parte de um país que é marcado pelo desequilíbrio regional, tem razões de sobra para tornar-se independente. Tomemos como exemplo, o estado do Rio de Janeiro que sedia todos os grandes eventos que ajudam a alavancar o seu setor turístico.  
Postar um comentário