terça-feira, 22 de novembro de 2016

O Brasil não é mais o mesmo de antes da Lava-Jato

As prisões dos ex-governadores do estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral e Anthony Garotinho no espaço de uma semana, aponta para um novo país. Um país que não tolera mais os crimes praticados contra o bem público.  

As prisões de doleiros, políticos e ex-executivos de empresas estatais, pela Operação Lava-Jato é a certeza de que a impunidade neste país está com os seus dias contados.

A prisão do ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, algo impensável, há alguns anos, devolveu ao povo brasileiro a esperança de sonhar com uma nação mais digna e livre de bandidos do colarinho branco. De políticos malfeitores, que estão e que serão presos, por desvio de conduta.

A esperança num Brasil respeitado e valorizado no exterior renasce, com a posse da ministra do STF, Carmém Lúcia na presidência da Suprema Corte brasileira. Essa ministra que em entrevista que concedeu ao jornalista Roberto D`avila se mostrou intolerante com bandidos travestidos de representantes do povo. Oxalá que isso se confirme.

A propósito, nem tudo está perdido, basta acompanhar os trabalhos legislativos e a postura digna do deputado federal, Onix Lorenzoni (DEM-RS). O Brasil tem jeito!

Postar um comentário