segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Delação da Odebrecht agravará sistema carcerário



Os presídios brasileiros, de uma maneira geral, não conseguem fazer a ressocialização dos detentos, esperada pela sociedade brasileira. O que a superlotação e as péssimas condições de vida e de higiene dos presos, dentre outros fatores, contribuem para que as penitenciárias sejam incapazes para atender ao que a Lei de Execução penal estabelece, qual seja, a recuperação daquele que está detido por ter cometido determinado crime.

Como tudo sugere, a Operação Lava-Jato agravará a situação do sistema carcerário brasileiro, porque espera-se que 90% dos políticos denunciados pelos colaboradores da empresa Odebrecht sejam presos.

São mais de 70 os delatores, e cada um deles transacionou com um universo muito grande de políticos; políticos de A a Z. Desde arraias-miúdas até tubarões da política nacional.

O problema maior que a Operação Lava-Jato está enfrentando e irá enfrentar - é mandar investigar, julgar, condenar e prender centenas de políticos enrolados com malfeitos - no ruidoso escândalo da Petrobras. Sugiro que a Operação Lava-Jato trabalhe como a Controladoria Geral da União (CGU) trabalhava, ou seja, fazendo sorteios das prefeituras supostamente mais encalacradas, para apurar possíveis casos de roubalheira nas prefeituras. Pega todos os envolvidos e separa os casos mais urgentes e significativos e começa pelos grandes.  
Postar um comentário