terça-feira, 10 de janeiro de 2017

A extrema necessidade obriga o povo a se submeter aos poderosos


“A fome é a expressão biológica de males sociológicos”. (Frase do autor do livro A geografia da Fome, Josué de Castro)

De barriga vazia, com sede, sem educação formal e saúde digna, ninguém consegue ter opinião e vontade própria. Esses são “os humilhados e ofendidos”. E é em cima dessa nossa triste realidade que os políticos brasileiros trabalham para se elegerem.

Desde que eu me entendo por gente, que ouço falar sobre a existência de currais eleitorais no Brasil. Um lugar onde existe um dono dos votos de um povo que continua nas trevas, ou seja, ignorante, dependente do poder público e daqueles que negociam os seus votos.

No estado do Piauí, o mais pobre estado da federação, essa realidade salta aos olhos de quem busca entender esse fenômeno nacionalmente conhecido, como curral eleitoral. 

Num estado onde os políticos são os mais atrasados, fazem da política uma profissão e tem plena consciência de que o voto do eleitor dos grotões se adquire negociando com o coronel, o político não precisa ter ideologia e comprometimento com quem o elege, basta ter dinheiro e saber amarrar bem o negócio.  

Na região Nordeste, não por acaso, a região mais pobre do País, a política continua sendo o melhor investimento e um grande negócio.

Na região Nordeste os governos e os políticos em geral não têm nenhum interesse que o povo evolua culturalmente, porque eles têm absoluta certeza de que povo evoluído é povo liberto.

Postar um comentário