terça-feira, 24 de janeiro de 2017

“Não negociamos com golpistas”

É o mais puro descaramento qualquer petista querer posar de vestal da moralidade

O Partido dos Trabalhadores (PT) que já foi considerado um partido ético e moralmente comprometido com a decência, com o fim do segundo governo Dilma Rousseff, degenerou-se, perdendo a compostura e o pouco que ainda guardava de decoro.

Com a disputa pela presidência da Câmara Federal sendo aberta, as lideranças do PT deixaram de lado antigos princípios. Saíram a campo em busca de um lugar na mesa diretora de uma casa que deverá continuar sob o comando do Democratas (DEM), um dos principais articuladores do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, o que joga no lixo essa frase que abre este artigo e que durante o processo de impedimento da petista Dilma Rousseff, foi colocada por trás do balcão dessa legenda. 

O negócio que o PT anda fazendo com o presidente Rodrigo Maia para participar da diretoria da Câmara Federal, já deve estar ocorrendo no Senado para que o PT não fique de fora da nova mesa diretora da casa que deverá ser presidida pelo senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). O PT para participar das mesas diretoras dessas duas casas faz qualquer negócio. 

O destino trágico do PT. Um destino trágico de um partido que mesmo passando por um processo de refundação não conseguirá se livrar das manchas (escândalos, abandono de princípios, negação de valores tão caros os petistas fundadores e orgânicos) coladas na sua biografia e história.

Postar um comentário