sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Abalo sísmico no Palácio do Planalto

José Yunes atirou no coração do governo e acertou Temer

O amigo do presidente da república Michel Temer, o advogado José Yunes ao admitir que recebeu dinheiro de doleiro para ser entregue ao ministro Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha deu um tiro de misericórdia no governo do PMDB.
 
Padilha me ligou falando: ‘Yunes, olha, eu poderia pedir para que uma pessoa deixasse um documento em seu escritório? Depois, outra pessoa vai pegar’. Eu disse que podia, porque tenho uma relação de partido e convivência política com ele.” (Sergio Dutti/VEJA)

Essa declaração do advogado José Yunes feito no parágrafo acima atingiu tão duramente o governo Temer e o seu ministro Eliseu Padilha, que o segundo acaba de pedir licença da sua pasta, alegando ter que fazer uma cirurgia de próstata no seu estado de origem. 

O ministro licenciado Eliseu Padilha deve estar realmente doente e necessitando de uma cirurgia, mas é inegável que a declaração comprometedora do ex-assessor e amigo particular do presidente Temer, há mais de 50 anos, José Yunes precipitou os acontecimentos.

Nessa sua declaração, José Yunes afirma que foi “mula” de Eliseu Padilha. Uma declaração muito forte e que poderá ter desdobramentos muito graves para um governo que mal se mantém de pé.

Como disse um apresentador da Bandnews, hoje pela manhã, dificilmente Eliseu Padilha reassumirá seu cargo no governo do PMDB.

A propósito, com o pedido de licença do ministro licenciado Eliseu Padilha, cujo nome já foi citado por alguns colaboradores da Operação Lava Jato, como tendo recebido propina, o núcleo duro do governo Temer ficou reduzido ao secretário Moreira Franco e o senador Romero Jucá (PMDB-RR). Pelo andar da carruagem, logo Temer ficará sozinho.
Postar um comentário