quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Como os ratos Serra abandonou o navio antes do naufrágio

Aécio Neves: o verdadeiro menino do Rio na praia de Grumari(Rio de Janeiro)

Ao primeiro sinal de naufrágio os ratos abandonam o navio. Esse parece ser o caso do chanceler José Serra que acaba de abandonar o importante cargo que ocupava no governo Temer. E usou como justificativa para esse seu ato, o fato de que a sua saúde não lhe permite mais viver grandes emoções. 
 
Mas, alguns jornalistas e analistas políticos, veem nessa decisão repentina de José Serra, uma saída honrosa de um governo, que mesmo que consiga algum sucesso na questão econômica, não será absolvido pela história, por ter transigido nas questões moral e ética.     

Como o senador Aécio Neves (PSDB-MG), um dos seus adversários na disputa pela indicação para sair candidato à presidência da república em 2018 abraçou de vez o governo Temer, o que fatalmente comprometerá a imagem do PSDB numa eventual disputa pela sucessão do PMDB, José Serra pode ter pensado em distanciar-se do governo Temer para que no futuro ele sua saída do governo peemedebista como um motivo para ser o escolhido na convenção.
  
O PSDB se não tivesse abdicado da condição de maior partido de oposição no Brasil - em 2018 o governo lhe cairia no colo, uma vez que o Partido dos Trabalhadores (PT) está vivendo os seus estertores e chegará em 2018 arquejando, agonizando, quase morto.

E o fracasso do PSDB em 2018 deverá ser colocado na conta do senador carioneiro (uma mistura de carioca e mineiro) Aécio da Cunha Neves. Aécio Neves que mora no estado do Rio de Janeiro e é senador pelo estado de Minas Gerais.
Postar um comentário