sábado, 4 de março de 2017

O PMDB está "dividido" entre João Henrique e Themistocles



Eles estão acordados, harmonizados

A divisão do PMDB piauiense entre o grupo do presidente do Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria (SESI), advogado João Henrique Sousa e o do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí, deputado estadual Themistocles Filho (TF), é coisa para inglês ver, ou seja, puro fingimento e esperteza, porque quando 2018 chegar, o PMDB criará um problema qualquer para abandonar o barco do governador. Foi assim com a presidenta Dilma Rousseff. O resto dessa história o país inteiro conhece.

Enquanto uma parte do PMDB apoia o governo de Wellington Dias, a outra parte está em campo realizando seminários para alavancar o nome de João Henrique, o amigo particular de Temer.

Esse apoio do PMDB de TF ao governo de Wellington Dias só serve para a aprovação de leis; tempo de televisão que é bom, dificilmente Wellington Dias terá, porque o PMDB em 2018 marchará sozinho ou apoiará o candidato do PP ou PSDB ao governo do estado. Será que TF terá coragem de trair o seu amigo Michel Temer? É pouco provável, e como o candidato do PMDB ao governo estado do Piauí é João Henrique Sousa, no frigir dos ovos, o grupo de Themistolces Filho optará por seguir a orientação da direção nacional do seu partido. A não ser que Michel Temer seja cassado ou renuncie ao seu mandato. Possibilidades que estão em aberto.   
Postar um comentário