sexta-feira, 3 de março de 2017

O projeto político de Aécio Neves subiu no telhado



Aécio Neves: a eminência parda do presidente Michel

A cada dia que passa, mais a situação do senador Aécio neves (PSDB-MG) se complica, porque surgem novas denúncias sobre recebimento de doações feitas por empreiteiras.  

O PSDB foi intimado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a prestar esclarecimentos sobre as doações feitas pela Andrade Gutierrez à campanha do senador Aécio Neves (MG) para a Presidência da República em 2014.

Marcelo Odebrecht no seu depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quarta-feira (02/03), disse que o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, teria lhe pedido R$ 15 milhões no final do primeiro turno da campanha eleitoral de 2014.

À Justiça Eleitoral, a campanha do senador mineiro registra doações que somam R$ 3,9 milhões da Construtora Odebrecht e R$ 3,9 milhões da Braskem, petroquímica do grupo empresarial. Ao todo, o PSDB recebeu R$ 15 milhões da Odebrecht em doações eleitorais em 2014. Todas essas empresas pertencem ao grupo Odebrecht.

Doações de campanha, qualquer que seja sua natureza, legal ou ilegal, cria um tipo de compromisso entre que recebe e quem doa.

Para complicar ainda mais a situação do tucano Aécio Neves, esse senador atrelou o seu partido ao destino do governo Temer que tudo leva a crer, não conseguirá sobreviver ao ano de 2017.   
Postar um comentário