quarta-feira, 29 de março de 2017

O PSDB acabou dando um tiro no próprio pé

Abraço de afogados

O PSDB ao ingressar no Superior Tribunal Eleitoral (STE), após ter sido derrotado nas urnas em 2014 para o Partido dos Trabalhadores (PT), pedindo a cassação da chapa Dilma-Temer se credenciava para assumir o poder numa eventual cassação dessa chapa, mas, ao assumir o poder juntamente com o PMDB abdicou dessa sua condição de partido de oposição.

Se o relator da ação impetrada pelos tucanos contra a chapa Dilma-Temer, o ministro do STJ, Herman Benjamim decidir pela cassação dessa chapa, o governo Temer ruirá e o PSDB ruirá também, atingido por essa decisão, haja vista, participar diretamente do governo do PMDB, o que o torna corresponsável pelo sucesso ou fracasso desse breve e fatídico governo.

Ao aceitar o convite de Michel Temer para participar do seu governo, o presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) levou o seu partido a renunciar a condição de principal partido de oposição e isso acabou por inviabilizar o projeto dos tucanos de voltarem ao poder em 2018.

Agora, sem discurso de oposição e sendo reconhecido como força auxiliar do governo Temer, o PSDB para disputar com chance de vitória a sucessão federal, só se o PMDB abrir mão de apresentar candidatura própria e apoiá-lo. O que pouco provável.
Postar um comentário