terça-feira, 14 de março de 2017

Voo da Piquiatuba não é autossustentável



Segundo o secretário de Turismo, Flávio Nogueira Júnior, a empresa Piquiatuba Transportes Aéreos suspendeu seus os voos no trecho Teresina-São Raimundo e Picos no dia 8, devido ao atraso de pagamento pelo governo do estado. O que já foi regularizado.

Uma pergunta que não quer calar: até quando o governo do estado do Piauí, vai continuar subsidiando esses voos, até aqui não sustentáveis, por absoluta falta de demanda de passageiros? O que inviabiliza esse projeto de voos para esses municípios piauienses.

O que precisa ser esclarecido é a forma de pagamento e quanto o governo do Piauí está pagando à Piquituba para sair do chão. Um dinheiro do povo piauiense que está sendo usado para bancar a mordomia de servidores do estado.

O sítio portuário Serra da Capivara que consumiu mais de 20 milhões de reais dos cofres dos tesouros estadual e federal, anda vai continuar consumindo o santo dinheirinho do povo piauiense, através dos voos vazios entre São Raimundo Nonato e Teresina, com os subsídios para a Piquiatuba continuar operando e a manutenção do aeroporto Monumental da Serra da Capivara.

No estado do Piauí, coisas absurdas acontecem e o Poder Legislativo, a quem cabe fiscalizar as ações do governo, ignora completamente.

Iluminação Pública não é de graça

Já disse aqui neste espaço virtual que Iluminação Pública é um dos principais itens de segurança. Chegar em casa com a rua feita um breu, às escuras completamente, o risco de uma pessoa ser roubada ou assassinada aumenta. Muitos moradores dos bairros da periferia, para não correrem perigo de morte, acabam apelando para eletricistas autônomos, que via de regra não usam equipamentos de segurança.

Quando acontecer um grave acidente, o diretor do departamento de Iluminação Pública vai ser responsabilizado.  
Postar um comentário