segunda-feira, 17 de abril de 2017

Partidos e políticos adversários tentam unir-se contra Lava Jato



Há dois meses, quando a colaboração da Odebrecht ainda era uma bomba no arsenal da força-tarefa da Lava Jato, esperando pelo momento de explodir, Lula telefonou para Fernando Henrique Cardoso. O petista sugeriu que os dois se encontrassem para debater a crise”. (Do blog do Josias)

Esse telefonema de Lula para FHC que o blogueiro Josias de Souza tornou público, foi dado para que esses dois caciques da política nacional estabeleçam um diálogo que poderá ser o embrião de um grande acordão de cavalheiros, visando montar um plano de salvação de partidos e políticos ameaçados pela lista do ministro do STF, Edson Fachin.

Diferentemente do que prega a Bíblia, no caso do julgamento dos processos da Operação Lava Jato, movido contra partidos e políticos, não haverá salvação individual. Isso quer dizer que ou os partidos e políticos se unem para tentar abortar os inquéritos da Operação Lava Jato e até mesmo sufocar essa operação moralizadora ou todos serão atropelados e mortos por essa operação redentora.

Se para os políticos e os partidos tradicionais - só um pacto e a união de todos em torno de interesses comuns poderão salvá-los, para o país, só resta uma saída: a formação de um grande Pacto Social de salvação nacional. Ocorre que o presidente Temer não credibilidade suficiente para livrar este país desse tsunami de crises.

Um presidente com apenas 5% de aprovação não reúne as mínimas condições permanecer no cargo, sobretudo, num momento tão delicado como este.
Postar um comentário