quinta-feira, 11 de maio de 2017

Como água para caldo de cana de açúcar



A água em processo de decantação. A sujeira acumulada no fundo do recipiente
A água fornecida pela Empresa de Água e Esgoto do Piauí S/A (AGESPISA) que segundo os seus consumidores é péssima qualidade, com a baixa precipitação de água na microrregião de São Raimundo Nonato, ficou ainda pior, como o meu caro leitor pode constar através das fotografias constantes no corpo deste texto.  

Mas, pior do que consumir uma água podre e de cor amarelada como bílis - é a ameaça da barragem da Onça secar, como sugere a pouca água acumulada nesse nessa barragem, secar. Segundo pessoas que estiveram recentemente na barragem da Onça, esse reservatório só conta com menos de 10% da sua capacidade de água acumulada.

O governador Wellington Dias que vem prometendo, desde que assumiu o seu terceiro mandato, a construção de uma adutora de engate rápido no município de São Raimundo Nonato, agora apela para a Companhia de Desenvolvimento do Rio São Francisco, Parnaíba, Mearim e Itapecuru (CODEVASF), como último recurso, o que se ele conseguir levará no mínimo dois anos para o projeto ser aprovado e os recursos liberados. Até lá todos nós estaremos mortos.

No Piauí é assim: falta recursos para o essencial, mas, sobra dinheiro para campanha política. Tudo é uma questão de valores e de prioridades. Para o político nordestino, o essencial é festa.

Ou o Piauí muda ou o Piauí morre, desaparece. 

Em TemPo:

E o que é mais: a indiferença olímpica como as autoridades municipais, estaduais e o ministério público estadual tratam estão questão. Esse problema de extrema gravidade, porque é a saúde dos piauienses que habitam essa região que está correndo perigo. Acorda Piauí!
Postar um comentário