segunda-feira, 2 de março de 2015

Uma relação que poderia ser parceira, cooperativa e colaborativa

Desde que coloquei os meus pés nesta região, seja atuando no rádio, no jornal impresso, na Internet e até na televisão, eu sempre investi numa maior aproximação entre os estados do Maranhão e Piauí, por razões as mais óbvias. A primeira, a extensa fronteira que une esses dois estados através do rio Parnaíba. A segunda, o Delta do Paranaíba, cujo espaço territorial pertence a maranhenses e piauienses, sendo que 70% pertencem ao vizinho estado do Maranhão. O terceiro, a relação dos municípios que ficam dos dois lados desse importante rio, o que faz com que maranhenses piauienses se confundam na sua naturalidade. Cito como exemplo de uma relação que deveria ser fortalecida a cada dia, o piauiense Raimundo Leal nascido no município de Uruçui (PI). Raimundo Leal que migrou para o Maranhão, lá onde se integrou de tal maneira a vida maranhense que acabou fixando residência e fazendo uma brilhante carreira política. Eu poderia elencar aqui dezenas de exemplos de outros exemplos que fortalecem os meus argumentos, sobre a importância desses dois povos se unirem em prol de causas que lhes são comuns.
                                                      
Muitos piauienses não sei por quais motivos julgam o seu estado superior ao nosso. O que para mim é uma tremenda besteira, ignorância histórica e geográfica (falo como maranhense), porque em nenhum setor da atividade humana, o Maranhão é inferior ao Piauí e de resto a todos os estados nordestinos-, muito pelo contrário, o Maranhão sempre foi um estado acolhedor dos retirantes de secas impiedosa e cruéis. No Maranhão os flagelados da seca encontravam uma terra acolhedora e de oportunidades.
Muitos piauienses usam à dependência de 31 municípios maranhenses da medicina do Piauí, para julgarem o que o seu estado não é. Em Imperatriz acontece o mesmo com relação ao estado do Tocantins, porque esse município maranhense oferece aos tocantinenses, serviços e bens que só indo à capital Palmas eles teriam.

Além do fator proximidade, outros fatores favorecem a vinda de maranhenses a procura da medicina e da educação piauiense, como por exemplo, o custo de vida, muito mais barato do que em cidades como São Luís, Fortaleza e Recife.  O custo de vida e a proximidade de tudo em Teresina favorece a vinda de maranhenses à Teresina, porque em São Luís só os ricos tem medicina e educação de excelente qualidade.

Querem um exemplo do que esse tipo de preconceito do piauiense contra o maranhense pode contribuir para que o estado do Piauí não seja favorecido com o crescimento do Maranhão? Eu dou: agora mesmo, o Ministério de Minas e Energia (MME) acaba de aprovar um plano que permitirá ao Maranhão exportar através de uma gasoduto de 700 km para o estado do Pará, o excedente da produção de gás produzido pelo poço de Santo Antonio dos Lopes. Quando deveria exportar parte desse gás para o Piauí. Outro exemplo, o Maranhão vai promover o primeiro Festival de Folclore Internacional e o estado do Piauí sequer foi cogitado para participar desse importante evento. O problema de energia do estado do Piauí também serve como exemplo, o já poderia ter sido solucionado se existisse uma maior aproximação entre piauienses e maranhenses. Cito só esses dois exemplos, para não me estender muito.

O comportamento do secretário de saúde do Maranhão com relação ao seu companheiro piauiense foi deselegante, até grosseiro, mas não podemos julgar um povo tão acolhedor como o maranhense, pelo comportamento de uma simples pessoa. 

O Vale do Rio Parnaíba, a exemplo do Vale do São Francisco poderia já ter a sua própria companhia de desenvolvimento se os políticos desses dois estados se unissem para a sua criação. Este é um bom momento para que os políticos de ambos os estados criem pontes que aproximem esses dois estados irmãos.

O advogado e defensor público Nelson Nery Costa que faz doutorado em ciências públicas no Maranhão e acaba de ser homenageado como cidadão maranhense, no seu discurso de agradecimento disse que maranhenses e piauienses tem uma forte ligação, porque o Piauí é uma costela do Maranhão e nasceu do Maranhão.


Só voltei a esse assunto, porque a imprensa piauiense que deveria tentar melhorar essa relação, sempre que surge uma oportunidade, ela investe em acirrar os ânimos entre esses dois povos que teriam muito mais a ganhar se buscassem uma maior aproximação e a formação de parcerias em setores onde a cooperação poderia encontrar um terreno fértil.
Postar um comentário