terça-feira, 21 de abril de 2015

A fé conforta, mas não salva ninguém



Não dá para ignorar a importância da fé religiosa como conforto espiritual, que o crente encontra num Deus que é uma obra da criação do homem, não o contrário, como a Bíblia nos ensina.



A fé religiosa serve para as pessoas fragilizadas sentirem-se confortadas em meio à tormenta do dia a dia. Como diz uma estrofe de um hino religioso: “segura na mão de Deus e vai”.  Essa é a importância da fé, fazer com que as pessoas acreditem que serão protegidas por um ser superior, sobrenatural, desde que tenham muita fé.



A crença num ser sobrenatural é uma das maiores lorotas que eu já ouvi em toda a minha vida, porque esse Deus no qual os bíblias acreditam, não existe, pelo menos para mim, que já o busquei nas religiões e em algumas seitas religiosas e por mais que eu tenha orado, recitados salmos, versículos e cantados hinos de louvor, nunca me senti tocado por algo sobrenatural - que me fizesse crer que se tratava de uma manifestação divina.  Confesso que tive uma vontade honesta de me ver diante de uma revelação.



Hoje, diante da violência que é fruto de uma superpopulação, das catástrofes que se sucedem a todo o momento, onde milhares de pessoas são mortas, ficam desabrigadas e desamparadas, cada vez mais me convenço de que esse Deus Todo Poderoso não existe, que ele não passa de uma obra de ficção que ao longo de milênios vem mantendo muitos espertalhões numa vida nababesca; a começar pelas autoridades eclesiais e mais recentemente, os donos de seitas religiosas que descobriram na religião um grande nicho de mercado. Um grande negócio, cujo produto é a fé religiosa.



Só as pessoas ingênuas, ignorantes e puras se deixam levar por um discurso mentiroso e sem sustentação, porque são desprovidos de fundamentos lógicos e fatos que denotem alguma evidência. 



O Diabo, que as religiões usam como para confirmar a existência de Deus, também não existe. Não passa da invenção daquele ou daqueles que inventaram Deus, para usarem como um grande produto e também como um instrumento de dominação.



A fé conforta porem não salva ninguém, o Céu e o Inferno são invenções de mentes ardilosas que usam argumentos convincentes para atrair pessoas fragilizadas, desesperadas e na esperança de serem libertadas das agruras da vida cotidiana, aceitam qualquer embuste como sendo verdades absolutas.   
Postar um comentário