quarta-feira, 12 de agosto de 2015

A Lava Jato é uma coisa e o governo é outra



A Lava Jato é uma coisa e o governo é outra. Portanto, não confundir uma coisa com a outra.



Se o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afundar no mar revolto da Operação Lava Jato, a presidenta Dilma Rousseff poderá perder um grande aliado. Um aliado que andava meio desconte com o governo, mas que voltou às boas e passou a ser um fiador de um governo que vinha sendo ameaçado por outro peemedebista, o deputado federal e presidente da Câmara Federal Eduardo Cunha.

Como bom articulador político que é o senador Renan Calheiros desarmou temporariamente um grande explosivo que tinha sido armado por Cunha, um político cujo projeto pessoal coloca em risco a governabilidade do país e a harmonia entre o Poder Legislativo e o Poder Executivo.

Resta saber agora se o juiz Sérgio Moro (foto) irá 'aliviar Renan Calheiros', o que é pouco provável. O que poderá acontecer é Renan e Eduardo naufragarem juntos. Se ambos se afogarem no oceano da Operação Lava Jato, a presidenta Dilma Rousseff se fortalecerá politicamente, porque se livrará de dois políticos que projetos pessoais de poder.
O juiz Sérgio Moro não fará nenhum movimento no sentido de aliviar os citados na Operação Lava Jato e que provavelmente serão denunciados. Até aqui esse juiz não tergiversou e não vai ser o senador Renan Calheiros quem irá fazê-lo mudar de convicção. Renan Calheiros, que com disse o jornalista Josias de Souza no seu comentário político de hoje na TV UOL é um boia precária. 


Siga no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino 
Postar um comentário