quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Não é por falta de doutores, não!



Não é por falta de doutores que este país não decola, porque doutores nós temos a 'dar com o pau', como se diz na gíria. No Brasil o sujeito conquista um canudo e depois fica com a cara para cima, porque não sabe o que fazer da vida; porque ele não tem experiência e segurança para disputar uma vaga no mercado de trabalho onde a experiência conta muito mais do que uma graduação ou vários MBS.  

Não é à toa que o Brasil é conhecido como o país dos doutores. Aqui todo mundo quer ser chamado de doutor, embora muitos daqueles que exigem serem chamados de doutores nunca tenham feito sequer uma especialização, um mestrado; a porta de entrada para o doutorado e o pós-doutorado.

Neste país a cultura do doutor é tão forte - que o próprio governo estimula às pessoas pobres a buscarem uma graduação, quando deveriam primeiro adquirir um curso profissionalizante que lhes garantiria uma colocação no mercado de trabalho e posteriormente reunir condições para cursar um curso de nível superior. O FIES que não me deixa mentir.


Neste país as coisas acontecem via de regra de cima para baixo. A expansão dos Institutos Federais de Educação foi uma excelente ideia, mas acontece que esses institutos não cumprem as suas verdadeiras finalidades, porque a começar pelo professor que não permanece no local para onde foi designado através do curso e em muitos casos, os cursos não atendem a vocação econômica do estado ou município.     

Siga no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino
Postar um comentário