domingo, 4 de outubro de 2015

Marcelo Castro: “De estilingue à vidraça”

O ministro da saúde, o piauiense Marcelo Castro (foto) que até momentos antes da sua posse era um franco atirador, ao assumir uma das joias da coroa passou a ser vidraça, porque a imprensa passou a se interessar pela figura do novo ministro, o que não acontecia com o parlamentar. Isso quer dizer que se o novo ministro da pasta da saúde tiver ‘telhado de vidro’, ele que se prepare para ser investigado pela imprensa.

A decisão do ministro Marcelo Castro de enviar o projeto que recria a CPMF ao Congresso Nacional é motivo suficiente para entidades como a FIESP e FIRJAN - duas federações poderosíssimas procurarem minar o trabalho do novo ministro.

Logo que foi escolhido ministro da Saúde pela presidente Dilma Rousseff, o deputado federal Marcelo Castro (PMDB-PI), ressaltou as dificuldades enfrentadas pela pasta e propôs à presidente que a CPMF seja cobrada nas operações de crédito e débito, o que dobraria a arrecadação do governo. “Nossa proposta é continuar com a mesma alíquota de 0,20% e arrecadar o dobro, vamos cobrar no débito e no crédito”, disse o novo ministro.

Marcelo Castro que se prepare para grandes embates, porque o empresariado brasileiro não aceita a criação de mais um imposto, sobretudo a CPMF, porque a nossa enorme carga tributária torna os nossos produtos pouco competitivos.

Siga no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino
Postar um comentário