quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

O monopólio do transporte em Timon é escandaloso e obsceno



O monopólio do transporte em Timon é mais velho que a ditadura Castro e a Sé de Braga

Dede que a empresa Dois Irmãos começou a operar entre os municípios de Timone e Teresina nos anos 50, que ninguém consegue quebrar o monopólio dessa empresa, que pelo visto, tem um Santo Forte ou conta com o apoio de poderosos na política piauiense.

Uma situação que humilha uma população inteira (que se sente refém da Dois Irmãos), uma sucessão de governadores, prefeitos e dezenas de parlamentares maranhenses com assento na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal.

O governador Flavio Dino, mesmo com a sua tão ‘propalada influência sobre a presidenta Dilma Rousseff, não conseguiu derrotar o empresário Oswaldo Mendes nessa luta pela quebra de um monopólio escandaloso - que numa economia de livre mercado não faz sentido.

O timonense é órfão de representantes em todos as instâncias políticas. Nos poderes legislativo e executivo.

O prefeito Firmino Filho pela sua postura, até parece ser ele o prefeito de Timon e Luciano Leitoa, o chefe de uma região administrativa ou Superintendência de Desenvolvimento Urbano da capital piauiense. Luciano Leitoa precisa adotar uma postura mais condizente com o cargo que ocupa, mesmo que esse cargo seja de prefeito de Timon. Um município que pertence à Grande Teresina. Podbre Timon!

Postar um comentário