sábado, 2 de janeiro de 2016

O PT para sobreviver ao Petrolão só refundado


 
O PT para sobreviver ao Petrolão só refundado. E olhe lá!



O ano de 2015 foi particularmente muito difícil para o Partido dos Trabalhadores (PT) e os seus sócios, como o PMDB e PP, que formam uma tríade de malfeitores. Não por acaso, esses três partidos constam da lista do PGR, Rodrigo Janot, com o maior número de nomes de políticos denunciados ao STF por envolvimento com a Operação Lava-Jato. 

O escândalo do Petrolão, um desdobramento do Mensalão, o maior escândalo de corrupção já investigado no Brasil, manchou para sempre a imagem do PT, o partido que idealizou e operou esse escândalo grandioso que quase levou à Petrobras a perder valor de mercado e como consequência dessa perda, perda também de investidores.

A fome de poder e de riqueza dos petistas foi tão grande que eles ignoraram o perigo que existe nas ‘relações perigosas’ e no ato de confundir o ‘público com o privado’. Os petistas no poder levaram os seus ‘atos indecorosos’ às últimas consequências e Isso ficou por demais evidentes, na reprodução do escândalo do Mensalão no escândalo do Petrolão. Uma repetição impensável no espaço de uma década, por ser o Mensalão um fato recente. 

Os petistas, por mais que tentem desvincular os malfeitores do partido não conseguem, porque são os políticos que formam os partidos. Ninguém pode dissociar os nomes de José Dirceu, José Genuino, João Vaccari Neto, Delúbio Soares, João Paulo Cunha, André Vargas e outros petistas menos famosos, do Partido dos Trabalhadores.

O Mensalão e o Petrolão fizeram um estrado tão grande na imagem do PT que nem mesmo um processo de refundação será capaz de livrá-lo do desaparecimento prematuro

Postar um comentário