quinta-feira, 14 de julho de 2016

Dilma deve ir ao Senado apontar e desmascarar os traidores






O escândalo da queda do avião usado por Eduardo Campos em campanha, poderá respingar em algumas lideranças do PSB. Quem viver verá!

A ida da presidenta Dilma Rousseff ao Senado para se defender é uma grande oportunidade para que ela de dedo em riste aponte os traidores, os golpistas e os vira-casaca, como por exemplo, o senador Fernando Bezerra (foto) (PSB-PE), um oportunista e traidor juramentado, como diria Odorico Paraguaçu, um personagem criado por Dias Gomes da novela o Bem Amado.  

Nessa sua ida ao Senado para se defender, a presidenta afastada Dilma Rousseff, além de fazer sua defesa, ele terá a oportunidade de desmascarar antigo aliados, políticos que ao perceberem que o barco do Partido dos Trabalhadores (PT) estava fazendo água, como ratos que são os primeiros a abandonarem o porão ao perceberem que o barco está naufragando.

Dilma Rousseff não ‘pode deixar barato’ a traição de políticos que durante os quase 16 anos de sucessivos governos petistas se locupletaram no poder. Locupletar é a palavra que melhor define quem troca apoio por cargos e sinecuras.

Como a casa do PT caiu e o segundo governo da presidenta Dilma Rousseff, foi pro vinagre como se diz na gíria, a presidenta afastada Dilma Rousseff, bem que poderia prestar um grande serviço ao país, tirando a máscara de políticos que usufruíram dos governos Lula e Dilma e que se hoje ocupam cadeiras no Senado é graças aos cargos de grande visibilidade e orçamentos espetaculares que controlavam, como por exemplo, o ex-ministro da Integração Regional.

Dilma Rousseff precisa dar nomes aos bois.
Postar um comentário