sexta-feira, 7 de abril de 2017

O metalúrgico e o sociólogo

O metalúrgico e o sociólogo. PT e PSDB é tudo farinha de um mesmo saco

Um país arruinado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), por terem apelado para o patrimonialismo, clientelismo e o assistencialismo, não tem condições morais e éticas para se apresentarem ao país em 2018, como sendo capazes de tirar este país deste atoleiro em que eles mesmos o colocaram.

O PSDB que reinventou a reeleição, vendeu os maiores patrimônios deste país, como a Companhia Vale e fortaleceu a política do toma lá dá cá e do é dando que se recebe, não tem como se apresentar à nação na campanha de 2018, como um partido sério e moralmente aceitável. O PSDB que usou o programa Bolsa Escola como trampolim para a conquista de um segundo mandato, programa esse de natureza assistencialista e clientelista.

O PT que sofisticou na prática corrupção (não que ele tenha inventado) e exagerou no uso político dos programas sociais, por sido apeado do poder, pelo conjunto da sua obra, também não merece sequer disputar a eleição presidencial do próximo ano, porque antes ele precisa passar um longo e efetivo processo de depuração.

Com base no que foi dito acima ao povo brasileiro, não resta outra alternativa que não seja, buscar até mesmo fora do espectro político, um nome confiável aos olhos da nação, como o do ex-ministro e presidente da Suprema Corte Joaquim Barbosa e até mesmo o do juiz federal Sérgio Moro, desde é claro que ele deixe o Poder Judiciário, como fez o atual governador do estado do Maranhão, o advogado Flávio Dino. A propósito, o estado do Maranhão que está pagando os melhores salários aos professores em todo o país.

Urge construirmos uma terceira via.
Postar um comentário