quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Leitura dinâmica




O PSDB Vai pedir publicamente desculpas ao país por ter se associado ao PMDB para governar. Esse pedido de desculpas que será feito no horário nobre da televisão, parece vir tardiamente, uma vez que a tragédia brasileira já está consumada e o PSDB é corresponsável por essa tragédia que empurro esta nação para um abismo profundo. Na autocrítica que fará em programa partidário no dia 17, o PSDB vai admitir que se acomodou com certas práticas políticas e que passou a conviver com elas, sem especificar ou nominar. A peça anunciada em inserções comerciais tem provocado ainda mais divisão na legenda.  

Rodrigo Maia já ensaia desembarque   

O presidente da Câmara Federal, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), diante do desastre do governo Temer, já começou a repensar o seu apoio que parecia ser incondicional ao presidente da república, porque se ele continuar emprestando o seu apoio irrestrito ao governo do PMDB, o seu futuro que já está comprometido, ficará muito mais comprometido ainda e se insistir no seu apoio a um governo que é rejeitado por mais de 94% da população brasileira, ele será jogado na lata do lixo da história, como tudo sugere que acontecerá com Temer e todo o seu séquito.

Temer jogou e perdeu

Temer ao incensar o prefeito da cidade de São Paulo, João Dória Junior, sem querer ou de caso pensado rachou de vez o PSDB que já vinha emitindo sinais de uma crise interna. Com os afagos de Temer ao prefeito Dória Junior, o governador Geraldo Alckmin abespinhou-se com Temer e a sua "criatura" e resolveu reagir a intromissão de Temer nos assuntos domésticos dos tucanos. O programa eleitoral do PSDB que será levado ao ar no próximo dia 17, dará o tom e a dimensão do distanciamento que os tucanos pretendem estabelecer com o governo peemedebista.

Postar um comentário